Construção do cômodo de Sauna a Vapor

Estudo Preliminar

Com base no espaço disponível para a construção, a sua integração com outras partes da construção e a quantidade de usuários desejados, elabore primeiro um pré-projeto com o Layout da Sauna. De acordo com o layout da sauna, que e definido pelo loca que há disponível, podemos definir os locais onde haverão assentos para as pessoas.

Espaço necessário para um usuário dentro da sauna

O assento de um usuário em uma sauna segue as mesmas regras ergonométricas para qualquer assento, como por exemplo, para cadeiras, que considera a altura média para descanso das pernas de 40 a 45 cm e profundidade do assento de 40 a 45 cm, para que um usuário médio possa usar este assento confortavelmente. A largura para um assento coletivo, espaço individual deve ser no mínimo de 50 a 60cm. Considerando ainda o apoio dos pés, devemos deixar em frente ao banco mais 30cm. Para circulação precisamos de terceiros em frente ao usuários, mais 50cm. Assim poderemos definir que o espaço mínimo será de 50cmx (40+30+50)cm.
Nota: para bancos opostos o espaço para circulação é comum.

Tamanho do cômodo x Usuários

Não é possível fazer uma regra simples para relacionar o tamanho de um cômodo de sauna e o número de usuários, pois esta relação dependerá do próprio layout do cômodo da sauna.
Uma boa prática é fazer um pequeno esboço e neste esboço aplicar as regras para cada usuário. Começando por fazer o menor cômodo que atenda suas expectativas, pois quanto menor o cômodo, menor o investimento inicial e menor será o custo para manutenção (aquecimento). Você deve considerar ainda que nas maiorias das vezes o uso da sauna é para as pessoas que habitam a residência, porém quando o número de pessoas na sauna é grande, este uso é rotativo, ou seja, uma sauna para quatro pessoas pode atender um grupo de oito a dez usuários pois o banho na sauna normalmente é de três intervalos de 15 minutos com 15 minutos entres os banhos para relaxamento.
Supondo que você planeje uma sauna para até quatro pessoas ao mesmo tempo, neste caso você poderia planejar um banco de 2,00m (dois metros) de comprimento, ou seja 0,50 (meio) metro, no mínimo, para cada indivíduo e 40 a 45 (quarenta a quarenta e cinco) cm de profundidade.
Nota: Profundidade maior causa desconforto ergonômico pois dificulta o apoio das costas.

imagem usuário

Desenho de banco para 04 indivíduos, banco de 2,00mx0,40m.

Para o apoio dos pés (30cm) e circulação (+50cm) você vai precisar de pelo menos 80cm (oitenta) livre na frente do banco, como o equipamento de uma sauna úmida é normalmente instalado externamente e a porta abre para fora, seu cômodo ficará com 2,00m x 1,20m ou seja, uma área de 2,40m2, para uma altura de 2,20m o volume fica com 5,28m3.
Nota: Você pode também construir o banco da sauna em L, mas neste caso um banco de 2,00m acomodará somente 3,0 indivíduos.

imagem usuário
Desenho de banco L para 04 indivíduos.

Sauna com banco para deitar

É muito comum construir assentos do tipo arquibancada em uma sauna, pois quando a sauna esta com baixa ocupação alguns usuários podem ter o máximo do relaxamento, tomando sauna deitado, neste caso o banco mais alto precisa ter 60 (sessenta) cm de largura e pelo menos 2,0m de comprimento.
Nota: Este banco com 60cm de profundidade não é adequado para assento, porém poderá acomodar também mais usuários se necessário em uma situação de alta freqüência, porém não será possível ocupa-lo com 01 (um) usuário por cada 0,50 (meio) metro, pois os indivíduos do banco superior terão que apoiar os pés entre os usuários do banco inferior, com isso diminuindo a quantidade de usuários no banco inferior, uma boa relação seria 01 (um) indivíduo por cada 1,0(um) de comprimento.

imagem usuário

Alguns Estudos

Segue abaixo alguns estudos de dimensionamento de um cômodo para sauna-úmida, com base nos conceitos já expostos.

imagem usuário imagem usuário

Construção do cômodo

Tendo definido o layout da sauna, o próximo passo é a construção do cômodo, que pode ser construído com os materiais de alvenaria convencionais, como bloco ou tijolo baiano. Se caso for adaptar um cômodo já construído para uma sauna, é importante verificar se não será necessário fazer mudanças no local, como isolamento térmico e piso rebaixado com PVC.

Ponto de Esgoto

Deixe no piso dentro do cômodo da sauna um ponto de esgoto para escoamento do condensado de vapor e para própria manutenção do cômodo.

Vão para a porta da sauna

Construa as paredes deixando um vão para instalar uma porta com pelo menos 0,62cm X 1,95cm.
Nota: porta de sauna padrão: 0,57mx1,90m.
Veja mais informações abaixo sobre portas de saunas.

Teto da sauna - Inclinação e pé-direito:

O teto da sauna deve ter inclinação de 10%, ou seja, desnível de 10cm a cada 100cm de largura. A inclinação facilita o escoamento do condensado que se forma no teto da sauna impedindo que haja gotejamento sobre os usuários. Quando possível deixe a inclinação para o lado oposto ao dos assentos assim, todo o condensado do teto não passará pelos bancos e ainda teremos a maior altura sobre os bancos.
O pé-direito do cômodo deve ser no máximo de 2,20m. Este pé-direito baixo é muito importante para minimizar o volume do ambiente da sauna e assim evitar aquecimento desnecessário do ambiente acima dos usuários. Como o ar quente é menos denso, quanto maior o pé-direito, maior será o tempo para se atingir a temperatura do banho na altura de uso para o usuário, pois o aquecimento será de cima para baixo, ou seja haverá um diferencial de temperatura do teto para o piso.

Janela Panorâmica

Caso seu projeto contemple uma janela panorâmica, deixe o vão definido no projeto.
Veja abaixo tudo sobre Janelas de Vidro em Saunas.

Assentos

Construa as paredes suporte dos assentos da sauna com blocos, tijolos baiano ou tijolos comum e cubra com uma laje de concreto com pelo menos 5,0 cm de espessura. Caso em seu projeto a entrada de vapor para a sauna esteja nas laterais dos assentos, instale o tubo para saída de vapor ou o canal para instalação futura e deixe também o nicho do ponto de saída do vapor.
Veja também mais informações em "Entrada de vapor na sauna".

Linha de Vapor

Linha de Vapor é a tubulação que conduz o vapor produzido no gerador de vapor do lado externo, até o interior do cômodo da sauna.

Comprimento da tubulação

Comprimento da tubulação deve ser o menor possível, pois quanto mais longa for a linha de vapor, maior será a perda de calor na linha. O comprimento padrão é em torno de 1,50 (um metro e meio).

Cotovelos

Quanto maior a quantidade de cotovelos na linha de vapor, maior será a perda de calor na linha, pois nos cotovelos há um aumento de turbulência, que facilita a troca de calor. A quantidade padrão, ou seja, quantidade usadas nos testes de fábrica são de até quatros cotovelos.

Material da Tubulação

As duas melhores opções de materiais são tubo de cobre e tubo galvanizado. O tubo galvanizado tem como desvantagem a dificuldade para fazer as conexões entre suas partes, pois é necessário usar uma ferramenta para fazer roscas, já que você precisa cortar os tubos para ajuste do comprimento e conectá-los aos cotovelos. Hoje em dia, é difícil encontrar um encanador com ferramentas apropriadas para fazer 'rosca' no local, além disso, há a necessidade de usar uma união próxima ao gerador de vapor para conectar e desconectar o gerador quando necessário. O tubo de cobre, além de sua grande disponibilidade no mercado, as conexões entre as partes dos tubos cortados podem ser feitas sem solda, e até mesmo a primeira conexão com o gerador de vapor, onde geralmente há uma saída com rosca. Neste ponto conecta-se um adaptador solda/rosca e não é preciso união, pois as partes serão conectadas sem solda, assim quando precisar retirar o gerador de vapor, basta desconectar.
Nota: Há no mercador equipamento do tipo caldeira, neste caso a linha de vapor trabalha pressurizada, e portanto, a tubulação de cobre deverá ser soldada e na junção com o gerador de vapor será necessário usar uma união, para que o aparelho possa ser desconectado da tubulação de vapor.

Isolamento da tubulação de vapor

O isolamento da tubulação de vapor normalmente não é feita ou até mesmo exigida pelos fornecedores de geradores de vapor. Então, quando devemos usar a isolação térmica da tubulação de vapor?
Quando usamos uma linha muito curta, até 1,50m (um metro e meio) e no máximo quatro cotovelos, a perda de calor é pequena e você poderá deixar a tubulação sem proteção térmica. Mas quanto maior for a linha de vapor, maiores serão as perdas e, assim, aumentam as chances de ser preciso isolar a linha de vapor. Fora isso, se a tubulação for muito exposta, com risco de alguém tocá-la, você terá um segundo motivo para recorrer ao isolamento, já que a tubulação chagará numa temperatura de 100 graus centígrados, quando a sauna estiver sendo usada.
Para fazer o isolamento térmico, o procedimento é muito simples e barato, pode-se usar as mesmas mantas tubulares de poliuretano usadas para água quente, disponíveis em casas de materiais de construção.

Inclinação da tubulação

A tubulação deve ter uma leve inclinação em todo seu percurso para o lado do cômodo da sauna, assim todo vapor que for condensado durante o percurso, gotejará dentro do da sauna. Assim não formarão bolsas de vapor condensado dentro da tubulação, que poderá obstruir a tubulação interferindo no desempenho do equipamento e até mesmo provocar golfadas de condensados podendo até causar queimaduras nos usuários. Em situações muito especiais, quando o gerador de vapor fica abaixo do piso do cômodo da sauna, pode-se inverter a inclinação da tubulação para o lado do gerador de vapor, de qualquer forma nunca deixe formar sifão na tubulação.

imagem usuário

Saída de Vapor

No final da linha de vapor você deverá colocar obrigatoriamente um cotovelo virado para baixo, há aproximadamente 15cm do piso, onde o vapor será lançado contra o piso da sauna, assim os usuários ficarão protegidos do jato de vapor e até mesmo de possíveis respingos de água fervendo.
Para proteger ainda mais os usuários que estão em um ambiente de baixa visibilidade, o ideal é deixar um nicho na parede ou em um dos bancos, assim a saída de vapor ficará escondida, ou seja, não ficará saliente no ambiente da sauna. Este nicho poderá se uma pequena caixa (buraco quadrado) com 20cm x 20cm x 20cm, contendo a tubulação de vapor saindo por dentro há uns dois terços da altura. Esta saída deverá ser ajustada para receber um cotovelo que não fique saliente em relação à parede.
Nota: No caso de um banco com vão interno, ou seja, banco com um tampo de laje e todo aberto em baixo, se a saída de vapor ficar sob o banco, haverá condensação sob os assentos, provocando superaquecimento local, impossibilitando o uso do local próximo da saída de vapor, além de danos estruturais como trincas e rachaduras.

Porta da Sauna a Vapor

Material

As portas para sauna a vapor são fabricadas normalmentes em alumínio, aço inox ou polipropileno. Podemos afirmar que a porta de alumínio é a mais comum, pois provavelmente apresenta o melhor custo-benefício, porém se caso não receber tratamento superficial, ficará facilmente manchada com umidade.
Indiscutivelmente, a porta de sauna em aço inox seria o produto "top de linha", o melhor da categoria, porém será aproximadamente 50% mais caro que a porta de alumínio.

Dimensões

A dimensão da porta adotada pela maioria dos fabricantes é de 1,90m de altura por 0,60 m de largura, mas o ideal é ter uma porta em mãos para ajustar o vão para o assentamento correto, ou caso se decida com antecedência o modelo e fabricante, consulte o lojista sobre as dimensões.

Isolamento térmico da porta

Assim como todo o interior da sauna, a porta deve ser de tal forma que impeça a perda de calor. A solução encontrada pelos fabricantes de porta de sauna úmida é empregar na folha da porta, uma chapa dupla com um isolante térmico entre elas, como lã de rocha ou isopor. Caso você se decida por uma porta sem isolamento térmico, logicamente isso levará a um consumo de um pouco mais de energia ou gás por parte do gerador de vapor. Mas, é importante salientar que se seu gerador de vapor estiver no limite, por exemplo: equipamento especificado para 10m3 e cômodo com aproximadamente 10m3, provavelmente haverá dificuldade para atingir a temperatura desejada.
Outro pequeno detalhe é o uso de batente auto-vedante, ou seja, entre o batente e a folha da porta deve ser empregado material deformável que, no fechamento da porta, garanta um certo nível de vedação, impedindo assim a perda de vapor para fora, e portanto perda de energia.

Abertura da porta

Por questão de segurança a porta da sauna deve obrigatoriamente abrir para fora e empregar um trinco que facilite a abertura com um pequeno esforço. A solução mais comum é o trinco de bilha com mola, que funciona muito bem, porém exige folga de milímetro, o que só é possível com ajuste durante a instalação.
Estes cuidados são extremamente importantes, pois o ambiente dentro da sauna pode ser muito extenuante para algumas pessoas ou mesmo para um usuário comum em uma situação anormal. Soma-se à isso a baixa visibilidade do usuário causado pelo vapor. Assim, espera-se que, se um usuário precisar basta impulsionar ou empurrar de dentro para fora a porta para que se abra com facilidade.

Visor da porta

Normalmente, toda porta vem com um pequeno visor circular ou retangular na parte superior da folha da porta. Este visor serve principalmente para receber iluminação externa, natural se for de dia, ou da lâmpada do cômodo vizinho à noite, quando por algum motivo o cômodo da sauna ficar sem a iluminação própria, porque a lâmpada interna queimou, ou alguém desligou o interruptor externo, ou qualquer outro motivo, esta janela trará um pouco de iluminação, indicando também uma saída.

Janela Panorâmica em sauna

Alguns projetos de sauna contempla uma ampla janela de vidro, principalmente em saunas integradas à piscina ou para um ambiente aberto (com paisagem, por exemplo). Esta solução traz um charme a mais ao ambiente da sauna, além de reduzir o efeito claustrofóbico do ambiente totalmente fechado, porém além do custo da implementação, deve-se levar em conta que isso causará um maior consumo de energia para compensar as perdas de calor pela vidraça.
Neste caso, é muito importante não trabalhar com o equipamento no limite, ou seja, se optar por uma janela de vidro dimensione o gerador de vapor pelo menos 20% maior que o padrão.
Devemos ainda salientar que, particularmente no caso de sauna a vapor, o visual panorâmico esperado, é em parte prejudicado pela condensação na vidraça, mas que pode ser melhorado deixando o lado de dentro da vidraça untada com detergente.

Material da vidraça

O material deve ser vidro de segurança tipo vidro temperado, que apresenta resistência mecânica cinco vezes maior que o vidro comum de mesma espessura, e, quando quebrado, produz fragmentos pequenos, não pontiagudos e sem arestas cortantes. Além disso, termicamente uma chapa de vidro temperado suporta uma diferença de temperatura entre suas superfícies da ordem de 300o C. Nas mesmas circunstancias, um vidro comum rompe-se com uma diferença de 60o C. Esta situação de choque térmico é muito comum em saunas integradas à piscinas, pois a vidraça pode se molhar, caso alguém entre ou pule na piscina sem prestar atenção e esteja próximo ao vidro.

Espessura do vidro

As dimensões e outras especificações dos vidros empregados nas construções civis são normalizadas pela NBR 7199. A espessura do vidro é definida em função de suas dimensões (comprimento e largura) e dos esforços à que são submetidas. Considerando que estas placas são instaladas sem tensões e apoiadas adequadamente em suas esquadrias, sem contato direto através dos calços de materiais flexíveis, os esforços considerados serão somente de seu próprio peso em função da posição em que são instaladas ou movimentadas e a pressão do ar do ambiente.
A pressão do ambiente sobre a placa de vidro montada, dependerá muito da velocidade máxima dos ventos no local, que irá variar de acordo com a região do país, com a altitude local, com a altura em função da posição vertical no prédio, com os obstáculos naturais ou artificiais que alteram a corrente de ventos, entre outros. Isto pode parecer um pouco complicado, mas há um caminho mais simples que é através do site da Cebrace (http://www.cebrace.com.br/) onde você pode acessar o menu " ESPECIFICADOR", fazer um cadastro simplificado e ter acesso à um programa de cálculo que é baseado na NBR 7199 e outras normalizações. Utilizamos este programa e fizemos uma simulação para um painel de vidro temperado de 1000mm x 1500mm (1,00x1,50m) localizado na região de São Paulo, em local aberto e térreo, onde determinamos uma espessura de 4,00mm para o painel. Um detalhe a considerar é que não há na norma, nem no programa, um tratamento especial para o caso da sauna, assim o bom senso nos obriga a aumentar o fator de segurança nos resultados obtidos, devido as temperaturas anormais que um painel de vidro em uma sauna pode atingir, sendo assim, superestimamos um fator de 1,50 para nosso painel de 1,00x1,50, e ele teria assim uma espessura mínima de 6,00mm.

Isolamento térmico da Sauna

Quando uma sauna entra em operação, o ambiente aumenta de temperatura e há aquecimento das superfícies internas do cômodo. Há, então, perda de calor por condução através das paredes. Para diminuir este efeito, deve-se empregar meios isolantes em todas as superfícies, nos bancos, portas, paredes e teto.
O material que é empregado em sauna a vapor para isolamento do local é a vermiculita expandida.

Como aplicar vermiculita nas paredes da sauna a vapor

Prepararando o as paredes:
Prepare as paredes, tetos e bancos com chapisco comum, exatamente como é preparado para receber uma regularização de argamassa com areia e cimento.
Preparando a argamassa:
Prepare uma argamassa misturando vermiculita e cimento (substituindo a areia pela vermiculita e sem cal), o traço deve ser de 5 partes de vermiculita por cada parte de cimento em volume, adicione água e misture bem. Deixe um tempo de espera de 15 minutos antes de usar, pois parte da água será absorvida pelos cristais porosos e a massa vai alterar sua consistência. Assim, antes de usar, poderá ser necessário adicionar mais um pouco de água para atingir o ponto de trabalho.
Nota: caso você decida por usar pintura epóxi (opção algumas vezes empregada nos tetos) dê ao reboco uma acabamento final cuidadoso com desempenadeira metálica.
Regularizando a parede:
Aplique como um reboco comum, sobre as paredes, piso, teto e nos bancos, com espessura de mínima de 2,0 cm e deixando com textura para receber um revestimento cerâmico diretamente sobre a vermiculita aplicado com cimento cola.
Rendimento:
Considerando uma espessura de 2,5cm de regularização, devido as imperfeições da alvenaria, cada 1,0m2 consome 25 litros de vermiculita, ou seja, cada saco padrão de 100 litros (13kg por embalagem) rendera 4,0m2.
Calculando a quantidade de vermiculita:
Calcule as superfícies internas, desconsiderando os bancos. Por exemplo, em um cômodo de 1,80m x 2,00m e altura de 2,20m.
Paredes: 2m x 2,20m x 2,00m + 2m x 2,20m x 1,80m = 16,72m2
Teto + Piso: 2m x 1,80m + 2m x 1,80m = 7,20m2
Total = 23,92m2
Total de vermiculita: 23,92 / 4 = 5,98 sacos, ou seja, 6 sacos de 13 kilos.

Revetimento do cômodo

Como o ambiente do cômodo é úmido o revestimento deve ser cerâmico, porcelanato ou mesmo pintura epóxi. Um detalhe de extrema importância é a espessura do revestimento, pois quanto mais espesso for o revestimento mais energia será consumida para aquecer a própria peça, consumindo assim mais energia na fase inicial de aquecimento do cômodo, além de aumentar o tempo para atingir a temperatura do banho. Particularmente, quando um revestimento muito espesso é usado nos bancos, como por exemplo mármore, granito ou porcelanato com 1,50cm ou mais, mesmo após os termômetros atingirem a temperatura do banho, o usuário sentirá algum desconforto nos assentos, pois estes demorarão para atingir a mesma temperatura do ambiente.
As melhores soluções para o revestimento são os azulejos e pastilhas de vidro para paredes e bancos. Já para o teto, se utilizar azulejos e pastilhas deve-se empregar produtos com pouco ou nenhum abaulamento nas bordas e o rejunte deve ser aplicado de forma que não propicie o gotejamento do vapor condensado no teto.
Para emprego de pintura epóxi deve-se preparar a superfície durante o reboco com vermiculita, queimando cuidadosamente com desempenadeira de aço, pois a superfície seca de vermiculita apresenta dificuldade para lixamento.

Respiro da sauna

Deve ser feito na parede oposta da saída de vapor com diâmetro de 3,0 cm à 5,0 cm a uma distância de 15cm do teto, uma abertura conhecida como respiro. É um item extremamente necessário, pois o ar entra frio e cria circulação quando encontra o ar quente dentro do ambiente.

Ducha

A ducha normalmente é colocada do lado de fora do cômodo, próxima à saída. Assim, o usuário consegue fazer o "choque térmico", ou seja, ao sair do cômodo quente e tomar a ducha, provoca no corpo um efeito que o faz ativar o sistema imunológico e provocar o efeito terapêutico e saudável desejado com o banho. Para ver maiores detalhes sobre como tomar o banho clique no link de Saunaterapia.

Esquemas de instalação:

Para mais detalhes, veja as informações de intalação de cada equipamento clicando em seu link correspondente, ou acesse o manual que disponibilzamos. Apesar de semelhantes cada equipamento possui características próprias e recomendações dadas pelo fabricante. Veja abaixo um exemplo:

esquema elétrico

:: últimas Notícias

    :: Nossa Loja

    loja
    Loja Virtual
    Conecte-se conosco:
    Nosso blog com dicas Siga nosso twitter Siga nosso facebook Fale pelo Messenger


    Cottage - Casa e Lazer (12) 3942-3603 - COTTAGE@COTTAGE.COM.BR
    Rua João Rodolfo Castelli, 551 Putim (próximo à Rod. Tamoios) - São José dos Campos/SP